ENTRETODOS 2021

Ninguém quer ser convidado para o carnaval híbrido, de sombras e luzes, que se tornou nossas vidas e suas maneiras diferentes de mascarar a realidade. Expor filmes, narrativas pessoais e imaginativas desse mundo ultra-distópico se torna então não só uma função cultural mas também política da vida cotidiana.

O ENTRETODOS - Festival de filmes curtos e direitos humanos, está em sua 14a edição e recebeu 2467 filmes do Brasil e do mundo. Disseminamos a cultura e o debate com curtas metragens, transversais e sensivelmente potentes.\

A cada ano, temas e assuntos se destacam por agruparem uma grande quantidade de filmes. Em 2021, vieram à tona, de forma incontornável, questões ligadas à precarização do trabalho, à volta dos trabalhos manuais ligados aos lugares de origem, aos movimentos de migração e êxodos, aos sentimentos contraditórios e dilacerantes em que a presença ostensiva da morte nos submerge, à resiliência dos povos e dos afetos, aos animais descartados como destroços pelos sistemas globais, ao isolamento distópico, ao indivíduo vendo-se socialmente comprometido ou totalmente virtualizado, à negritude, às metamorfoses e suas estéticas, aos lutos e às lutas. No âmbito íntimo e coletivo, o tempo se plasma em vivências não-lineares, digitais, correrias, sonhos, insônias, e os nossos corpos revelam-se, cotidianamente, políticos.

Vida e morte, arte e vida no mundo pandêmico. As contradições do mundo binário escondem nuances sublimes existentes no grotesco. Para revelá-las assombramos os melhores filmes com os troféus-mascarados do artista paratiense Davi Cananéa. A tradição das máscaras e bonecos feitos para assustar, expõe o que há de mais humano em nós, o medo e o outro.

Esse ano, o Festival começa numa data marcante, o 11 de setembro. Queremos levar uma reflexão para esse dia e suas controvérsias. Vinte anos atrás, um atentado ao símbolo e território do mercado financeiro levou aos veículos de comunicação de massa, a filmagem do passante e o registro amador, ao mesmo tempo que essas imagens explicitam um ato violento de revolta, uma mensagem global, disseminada à revelia por todos os dispositivos. Ainda que as Torres Gêmeas estivessem nos Estados Unidos, a queda rompe imageticamente com a solidez inquebrantável do imperialismo. De repente, do ponto de vista da janela de um prédio ou de uma mulher atravessando uma rua, pode- se enxergar a ruptura, ainda que momentânea, do sistema de valores. E, ainda hoje, os ecos dessa guerra persistem e respondem com uma derrota imperial, enquanto as imagens em movimentos desenham um novo espaço de encontros e embates, possíveis ou impossíveis. Ninguém foge ao 11 de setembro, ninguém foge à pandemia.

Pela primeira vez, homenageamos uma diretora. Lilian Solá Santiago, pesquisadora do LAbArteMidia na ECA-USP, documentarista considerada a primeira diretora negra a lançar filme em circuito comercial no Brasil durante a chamada Retomada, signatária do manifesto Dogma Feijoada, professora e inspiração para o Entretodos, será nossa homenageada em 2021. Sua obra acompanha histórias de vidas negras e se desenvolve, recentemente, junto ao conceito de "Documentário de Ocupação; que opera através de deslocamentos de objeto, público-alvo, formas de exibição e de fruição do documentário, reforçando imagens humanizadas da história e da memória da população negra e periférica, inserindo-a em espaços tradicionalmente excludentes, não apenas como objeto de estudo, mas como presencialidade de seus corpos.”

Inauguramos também a sessão DIRETOS, recheada de filmes com menos de 3 minutos, que tocam na dor e na alegria, de irem direto ao ponto.

Boas Sessões a todos e todas!

JURADOS

Ângelo Bueno

Jurado da Mostra Competitiva (Sessões Precariado, Origens Êxodos, Choque e Terra Quente)

Bio: Ângelo José Bueno. Indigenista, poeta e ativista,membro do Conselho Indigenista Missionária (CIMI NE), assessora os povos indígenas desde 1982, sendo que migrou ao nordeste, PE, a partir de 1992, acompanhando os povos às margens do Rio São Francisco, Agreste e litoral da Paraíba, participando das produções áudio visuais, no Oco da Serra Negra, Potiguara Marcação Serrada, Engenho Prado Um e Dois, Guerra de Baixa Intensidade, entre outros. Trabalhou na produtora Telefone Colorido, Xikão Xukuru, TV Viva, e assessorou o Núcleo de audiovisual do povo Xukuru Ororubá Filmes entre os anos de 2003 a 2018.

Tatiana Toffoli

Jurada da Mostra Competitiva (Sessões Precariado, Origens Êxodos, Choque e Terra Quente)

Bio: Tatiana Toffoli é produtora, diretora, roteirista e montadora de séries e documentários com foco em cultura, sociedade, saúde e ciências. Nos anos 90, atuou na novela Ana Raio e Zé Trovão, foi produtora do MTV no Ar e dirigiu as séries Mochilão MTV e Expedição Caiçara. Recentemente dirigiu e montou Juruá, que integra o filme Pessoas Contar Para Viver (2019 - 43ª Mostra); Baré, Povo Do Rio (2015 - Melhor Realização Artística do TELAS); Louceiras (2013 - Menção Honrosa no 14ºFICA); Chapa (2009 - Prêmio no Con-can  Movie Festival Japão). Como montadora destaca Dona Helena (2006 - Melhor documentário no Tudo Sobre Mulheres) e Do Pó da Terra (2016).

Mari Belmont

Jurada da Mostra Competitiva (Sessões Precariado, Origens Êxodos, Choque e Terra Quente)

Bio: Mariana Belmont é jornalista, ativista e especialista em temáticas ambientais. É membro da Rede de Jornalistas das Periferias, articuladora da Nuestra América Verde e militante  da Uneafro Brasil. Colunista no Ecoa-UOL.

Luís Felipe M. D. de Queiroz

Jurado da Mostra Competitiva (Sessões Precariado, Origens Êxodos, Choque e Terra Quente)

Bio: Advogado, 31 anos, com atuação no âmbito das relações com o Poder Público, especialmente nas áreas da saúde, educação e cultura. Integrante da banca de advogados Rubens Naves Santos Jr.

Claudia Cardenas

Jurada da Mostra Competitiva (Sessões Precariado, Origens Êxodos, Choque e Terra Quente)

Bio: Eu, Cláudia Cárdenas, artista audiovisual experimental, integro o Duo Strangloscope. Nosso trabalho tem origem tanto na pesquisa continuada sobre o campo das artes audiovisuais experimentais quanto na criação de vídeos, filmes e performances de projetores multimídia experimentais. A atração pela montagem, pela matéria fílmica e sua composição e diferentes modos de gerar outros mundos nos atraiu para o cinema experimental pela sua potência libertária e anti sistema em oposição aos métodos e modos de produção industrial do cinema convencional. Nosso trabalho em grande parte lida com as fusões, sobreimagens, colagens, etc como criação de um labirinto espacial e temporal em que se desfazem as ordenações sequenciais narrativas e passam a cohabitar as imagens como num mise en abyme, com o objetivo de perda referencial. 

Eu, individualmente, já participei de outros juris de festivais de cinema como o FAM-Festival de Audiovisual do Mercosul, o MFL - Mostra do Filme Livre, Curta Oito - Festival Internacional de Curtas-metragens em Super 8 de Curitiba, além de também ter colaborado como curadora de outros festivais além do nosso, a maioria no exterior. Fui Presidente do Fundo Muncipal de Cinema de Florianópolis e participo de diversos foruns de debate e pesquisa sobre o estado da arte audiovisual experimental. Ainda como integrante do Duo Strangloscope, junto com Rafael Schlichting, criamos e fazemos a curadoria da Strangloscope - Mostra Internacional de Áudio, Vídeo, Filme e Performance Experimental que este ano teve sua 13a edição.

Para conhecer sobre nosso trabalho, acessar: 

www.strangloscope.com

Fernanda Grigolin

Jurada da Mostra Competitiva (Sessões Precariado, Origens Êxodos, Choque e Terra Quente)

Bio: Fernanda Grigolin é artista transdisciplinar, editora, pesquisadora e doutora em Artes Visuais pela Unicamp. Seu último trabalho é o livro Sou aquela mulher do canto esquerdo do quadro (2020), uma narrativa encarnada sobre mulheres anarquistas que viveram no Brasil, no México e na Argentina no século passado. Atua há 20 anos com publicações, entre produção, edição, circulação e pesquisa. É parte da Tenda de Livros desde 2014 e fez o Jornal de Borda (2015-2021). Já participou de festivais e exposições no Brasil e no exterior. No ano de 2020 foi indicada ao Prêmio Pipa e, ao longo de sua trajetória,  recebeu os seguintes prêmios: Funarte Marc Ferrez de Fotografia (2012), Proac Livro de Artista (2014), Proac Publicações (2015) e Proac Artes Visuais (2016).

Oisin Kealy

Jurado da Mostra Competitiva (Sessões Precariado, Origens Êxodos, Choque e Terra Quente)

Bio: Oisin Kealy é pesquisador e doutorando pela Universidade de Glasgow. Estuda Festivais de Cinema e Direitos Humanos no mundo e é curador do Festival Documents na Escócia e Festival de Curtas de Glasgow, além de ser DJ.

Izabel Cermelli

Jurada da Mostra Competitiva (Sessões Linhas Curvas, Respiro, Passagens e Confins)

Bio: Belita Cermelli é Diretora de Cultura e Educação da Associação Casa Azul. Nascida em Paraty, é licenciada em Física pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo – USP. Foi professora de Física e Matemática em São Paulo e Paraty, coordenou o Projeto de Revitalização dos Espaços Públicos de Borda d'Água de Paraty de 2000 a 2002 e foi secretária técnica do Seminário Paraty Patrimônio Mundial realizado em 2001. Fundadora e diretora da Associação Casa Azul, é uma das criadoras da Festa Literária Internacional de Paraty – Flip, da qual foi diretora executiva de 2003 a 2013, quando assumiu a direção-geral do Programa Educativo, que inclui a Flipinha, a FlipZona e a Biblioteca Comunitária Casa Azul. Também é praticante e instrutora de Tai Chi Chuan.

Fred Breyton

Jurado da Mostra Competitiva (Sessões Linhas Curvas, Respiro, Passagens e Confins)

Bio: Videografista e montador, militante da comunicação do Movimento pela Soberania Popular na Mineração. Trabalha com audiovisual comunitário e institucional. Território, ecologia política, luta e organização popular são as espinhas de uma produção que dá seus primeiros passos. Graduando em Filosofia na FFLCH-USP.

Rita Carelli

Jurada da Mostra Competitiva (Sessões Linhas Curvas, Respiro, Passagens e Confins)

Bio: Rita Carelli é atriz, diretora de teatro e cinema, escritora e ilustradora. Atuou nos longas “Permanência”, de Leonardo Lacca, “Abaixo a Gravidade” de Edgard Navarro, “Antes o Tempo não Acabava” de Sérgio Andrade e Fábio Baldo, “A Morte Habita a Noite”, de Eduardo Morotó, e “Sujeito Oculto”, de Leo Falcão - esse último em fase de finalização - e a mini série “Diários da Floresta” de Luiz Arnaldo Campos. Foi contemplada com prêmios de atuação em diversos festivais de cinema do Brasil como o Festival de Cinema Brasileiro de Brasília, o Cine PE, o Festival de Cinema de Vitória, o Festival de Cinema de Triunfo, entre outros. É diretora e roteirista do curta-metragem de ficção “Hospedeira” (2014) e dos documentários, realizados junto aos índios Enawenê Nawê, “A Era de Lareokotô” (2018) e “Yaõkwa, imagem e memória” (2020), este último feito em parceria com seu pai, Vincent Carelli, em uma produção da ONG Vídeo nas Aldeias e Itaú Cultural, junto ao povo indígena Enawenê-Nawê - vencedor do Festival Internacional de Documentários de São Paulo É Tudo Verdade. Acaba de lançar seu primeiro romance, TERRAPRETA, (Editora 34), sobre questões indígenas e ambientais no Brasil.

Lia Capovilla

Jurada da Mostra Competitiva (Sessões Linhas Curvas, Respiro, Passagens e Confins)

Bio: Lia Capovilla - Fotojornalista com formação em Cinema (1990, FAAP, SP). Foi repórter, redatora, apresentadora e editora da Eco Tv – retransmissora da TV Educativa do Rio de Janeiro em Angra e Paraty – realizando documentários, telejornal diário, transmissões ao vivo, programas semanais de debate e de educação ambiental para crianças (1991 a 2000). Desenvolveu o conteúdo informativo do Portal www.paraty.com e coordenou a programação da TV Paraty.com, especializada em reportagens especiais, cobertura de eventos culturais, produção de programas e transmissões ao vivo via streaming (2000 a 2014). Coordenou o evento Circuito Paralelo de Ideias - OFF FLIP, convênio com a Prefeitura Municipal de Paraty (2005 a 2014). Participou do Órgão Diretivo do Fórum de Desenvolvimento Sustentável de Paraty - Agenda 21 (2010 a 2015). Desde 2015, dirige o Núcleo de Mídias Artes e Tecnologias em Paraty, desenvolvendo projetos de educação para comunicação em parceria com escolas, emissoras e empresas.

Marcelo Rocha

Jurado da Mostra Competitiva (Sessões Linhas Curvas, Respiro, Passagens e Confins)

Bio: Marcelo Rocha. Atuação no Movimento Hip Hop e Movimento Negro Unificado-BA. Advogado com atuação no setor audiovisual, tendo atuado como assessor jurídico da Apan – Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro (2019 – 2021). Mestre e Doutorando em Sociologia – PPGS UFSCar - Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos. Atualmente ocupa a Gerência de Inovação e Políticas do Audiovisual da Spcine.

Edney Meirelles

Jurado da Mostra Competitiva (Sessões Linhas Curvas, Respiro, Passagens e Confins)

Bio: Edney M. Pereira Melo. Produtor do Festival de Literatura, Música, Artes, Cinema e Teatro “Brasilien trifft Berlin”. Editor e Livreiro, proprietário da Edition Tempo e da Livraria Italo-Espanhola e de Língua portuguesa Mondolibro. Vive na Alemanha há 18 anos, onde promove diversos eventos em parceria com a Embaixada do Brasi , Embaixada de Portugal e Embaixada de Cabo Verde.

Vinicius Veneziani

Jurado da Mostra Juventude

Bio: Carlos Vinicius Veneziani dos Santos é professor de Língua Portuguesa e Literatura do IFSP, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Possui Doutorado em Semiótica e Mestrado em Literatura Brasileira. É graduado em Letras e Filosofia. Lançou três livros de poesia: A Minha Própria Lei (2012), Parâmetro (2014) e Todo Dia Oásis (2020). Formado em Canto pela Escola de Música e Tecnologia (EM&T). Coordena o projeto de extensão Arte Mundana, voltado para eventos culturais para a comunidade do IFSP. Possui Especialização em Educação Profissional para o PROEJA, pelo IFSP.

Lucimar Athayde

Jurada da Mostra Juventude

Bio: Pedagoga, Professora, Diretora e Supervisora Escolar da Diretoria Regional de Educação de Pirituba-Jaraguá, na Rede Municipal de Ensino de São Paulo (aposentada). Membro do Grupo de Trabalho: Educação em Direitos Humanos de 2013 a 2016 (Ação intersecretarial entre SME, SMC, SMDHC); do Centro de Educação em Direitos Humanos do CEU Pêra Marmelo e do CINECLUBE Pêra Marmelo até 2016. Participou ativamente de oficinas com exibição e discussão de curtas metragens em DH, difundindo o Festival Entretodos para os membros das comunidades escolares: profissionais da educação, gestores, professores, demais funcionários, pais, crianças e alunos nos CEIS (Centro de Educação Infantil), nas EMEIS (Escolas Municipais de Educação Infantil), nas EMEFs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental) e CEUS (Centros Educacionais unificados) do território da DRE Pirituba Jaraguá de 2013 a 2016.

Robson Novaes da Silva

Jurado da Mostra Juventude

Bio: Doutor e Mestre em Geografia Humana, pela Universidade de São Paulo – FFLCH/USP. Formado em Geografia e Pedagogia, atua na educação do município de São Paulo desde 2002, ocupando função docente e de gestão pedagógica. Atualmente desenvolve suas atividades na EMEF Estação Jaraguá onde é Diretor efetivo.

Claudia de Almeida Mogadouro

Jurada da Mostra Juventude

Bio: Cláudia Mogadouro. Historiadora, com especialização, mestrado e doutorado pela ECA-USP. Pesquisadora do Núcleo de Comunicação e Educação da USP e sócia fundadora da ABPEducom. Formadora audiovisual de Professores da rede municipal de São Paulo. Criadora e coordenadora do Grupo Cinema Paradiso e do Coletivo Janela Aberta – Cinema & Educação. Membro do CINEDUC.

Marcia Cordeiro Moreira

Jurada da Mostra Juventude

Bio: Mestre em Educação (Psicologia da Educação), graduada em Psicologia. Atualmente é supervisora escolar da Diretoria Regional de Educação Pirituba, e foi docente no ensino superior em cursos de graduação em Pedagogia, de 2005 a 2015. Discute na atuação profissional temas como o trabalho coletivo na escola; currículo na educação básica; cultura escolar. Servidora pública na educação desde 1997, já atuou como professora, diretora de escola e como supervisora escolar. Atuou no período de 2013 a 2016 na Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, no setor de elaboração de documentos curriculares e formação docente. De 2017 até a presente data atua como supervisora escolar com escolas da região noroeste da cidade de São Paulo.

Sandra Santella de Sousa

Jurada da Mostra Juventude

Bio: Doutoranda em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Mestre em Educação pela PUC-SP, formada em Letras e Pedagogia, especialista em Literatura e crítica literária. Atuante nas áreas de educação desde 2002, ingressante na Rede Municipal de Educação de São Paulo (RME-SP) a partir de 2008, onde recentemente tem se dedicado na área de Educomunicação e Gestão Escolar. Foi Coordenadora de Projetos no CEU Parque Anhanguera e formadora de professores da Diretoria Regional de Pirituba, colaborou na construção do currículo: Diálogos Interdisciplinares a Caminho a Autoria da RME SP. É associada à ABPEducom. Integra o grupo de pesquisa Linguagem em Atividades no Contexto Escolar (LACE) da PUC-SP. É pesquisadora no projeto Digitmed desenvolvido pelo GP LACE na PUC-SP. Atua na gestão escolar desde 2015 e, atualmente é coordenadora pedagógica na EMEF Remo Rinaldi Naddeo.

Adelino Oliveira

Jurado da Mostra Juventude

Bio: Breve referência biográfica: Professor de Filosofia, no campus Piracicaba do Instituto Federal de São Paulo. Pós-doutor com pesquisa no campo dos Direitos Humanos. Doutor em Filosofia. Mestre em Ciências da Religião.

COMO VOTAR?

Você pode escolher 01 (um) filme preferido por sessão. Clique em DEIXE SEU VOTO e pronto! Seu voto será computado. O vencedor do Prêmio do Júri Popular será anunciado na cerimônia de encerramento do Festival Entretodos, no dia 26.09.2021. A cerimônia será transmitida pelo site www.entretodos.com.br e retransmitida no Canal do Youtube do Festival Entretodos.